Get Adobe Flash player

Review: Heróis de Camelot

12345Avaliação 4.00 (3 Votos)

Nome: Heróis de Camelot
Plataforma: iPhone
Desenvolvedor: Kabam
Preço: Grátis

Nota: 8.0

A vez do coração das cartas libertar a Grã Bretanha


Toda a Grã-Bretanha está em perigo, a paz erguida por Camelot se encontra ameaçada pelo misterioso Cavaleiro Negro a ponto do próprio Rei Arthur e o poderoso Merlin invocarem por heróis das mais longinquas regiões – e é ai que você surge – para se aventurar por um mundo de dragões, magias, exércitos e conquistas.

Pois é, falando assim, da até a impressão que estaremos para viver um até que bem genérico RPG, mas não, Heroes of Camelot é um jogo de...espere – cartas!

 “Tipo, Magic”, você então me pergunta, e eu respondo: – Sim, tipo Magic The Gathering. Mas antes que alguém pense, como eu pensei no começo, que Camelot se trata então de um jogo de cartas também genérico, deixe-me mostrar que nada fica mais longe da realidade. A nova aposta da Kabam é surpreendentemente profunda e cheia de personalidade.



Mais do que um conquistador nos campos de batalha, o jogo faz de você um herói único logo que o jogo é iniciado, com direito até mesmo a escolha de habilidades e origem, e assim te mostra um mundo cheio de vida, e o mais importante, outros jogadores.

Enquanto o objetivo mais simples do título realmente é acumular mais cartas e criar estratégias para toda e qualquer situação, a história e o enredo da aventura que, diga-se de passagem, até que supera bastante as expectativas, te da uma razão extra para avançar e superar uma infinidade de quests, que vão desde limpar aquele calabouço repleto de esqueletos, até impedir uma cidade de ser saqueada.

Pouco a pouco, o jogo acaba envolvendo, afinal, cada ação feita rende fundos e novas cartas, que seguem a linha do básico até as ultra-raras – capazes de evoluir não apenas suas instalações como o seu próprio personagem. Isto mesmo, praticamente como um Pokémon, existe formas e estágios para muitas das cartas do jogo, inclusive aquela que define seu personagem, e tudo é apresentado de uma forma até que bem saudável para o jogador.

O mesmo pode ser dito sobre o sistema de batalha, sutil e direto no início, mas que pouco a pouco ganha mais qualidade e estratégia, a ponto de você ser obrigado a montar até mesmo três times e atacar inimigos dos mais gigantescos, como os dragões, por diversos flancos. A única parte que realmente pode dar uma dorzinha de cabeça é que, tratando-se de um jogo F2P, obviamente quando você finalmente decidir encarar os confrontos on-line, que funcionam muito bem por sinal, àqueles jogadores que investirem mais grana definitivamente terão a vantagem – mas se for ver, não é assim com qualquer jogo de cartas no estilo Magic: The Gathering?

Aposte sem pensar duas vezes!



Comente essa notícia com a gente logo abaixo, em nosso twitter (@PortalGameWorld) ou em nossa fanpage no facebook (www.facebook.com/PortalGameWorld).

Phoca Facebook Comments

VEJA TAMBÉM

GW NETWORK
TOP VÍDEOS

Isso é o que dá misturar personagens da Nintendo com luta livre…

Alguém imaginou como seria um jogo de luta com os personagens da Valve…

In Harm's Way chega durante essa semana para PC, consoles e dispositivos móveis…